Rinite Alérgica – Febre dos fenos

Tem aumentado muito a procura de tratamento para Rinite Alérgica, ou também conhecida como Febre dos Fenos.

O nariz é o primeiro local por onde o ar passa até alcançar os pulmões. Uma das funções do nariz, é ser responsável pela limpeza, umidificação e aquecimento do ar inspirado.

Para essa função, o nariz possui um complexo mecanismo de defesa, que ao entrar em contato com alguma substância tóxica, desencadeia uma resposta para impedir que alcance os pulmões. O surgimento da obstrução nasal provoca o bloqueio da passagem do agente agressor (substancia tóxica) e, através dos espirros e coriza, a remoção dessa substância. Essa reação é normal e todas as pessoas, ao entrarem em contato com algumas substâncias tóxicas, apresentam tais sintomas. Por isso, quando fica gripada, a pessoa apresenta obstrução nasal, espirros e coriza, pois seu organismo está tentando protegê-la, impedindo que os vírus alcancem seus pulmões através do ar.

A alergia, na realidade, não significa falta de defesa do organismo. Ao contrário, indica uma defesa exagerada contra agentes que não são potencialmente agressivos ao ser humano. Ou seja, uma pessoa alérgica é hiper-reativa a determinadas substâncias que numa pessoa normal não despertam nenhuma resposta.

O sistema imunológico das pessoas alérgicas, por características genéticas, interpreta que determinada substância é tóxica, e que precisa proteger o organismo contra sua entrada. Por essa razão, algumas pessoas convivem normalmente com fatores que causam a alergia, como a poeira de casa, sem ter sintomas, ao passo que outras pessoas, ao entrarem em contato com essa mesma poeira, podem ter rinite e asma.

O paciente alérgico não nasce hiper-reativo (com alergia), mas sim com a capacidade de sensibilizar-se a determinado fator. Torna-se significativamente sensível e passa a ter uma resposta de defesa a uma substância que antes era tolerada. Isso significa que podemos conviver com determinada substância por muitos anos, e vir a desenvolver sintomas apenas tardiamente.

Essa característica é herdada dos pais. Quando um homem e uma mulher alérgicos tem um filho, a probabilidade dessa criança ser alérgica é de cerca de 50%. No entanto, mesmo que nenhum dos pais apresente alergia, a criança ainda assim pode ter  manifestações alérgicas, como rinite, conjuntivite, asma e alguns tipos de alergia de pele. A forma mais comum, porém, é a rinite. Cerca de 10% a 25% das pessoas sofrem de rinite alérgica.

Principais Sintomas:

  •  Congestionamento nasal
  •  Lacrimejamento, prurido, olhos vermelhos (conjuntivite alérgica)
  •  Espirros
  •  Tosse
  •  Comichão no nariz, palato ou garganta
  •  Pele inchada e de cor azulada sob os olhos
  •  Coriza pós – nasal (sente algo escorrendo por trás da garganta)
  •  Fadiga

Fatores sazonais

Os sinais e sintomas da febre do feno podem começar ou piorar em uma determinada época do ano. Os disparadores incluem:

  •  Pólen de árvores, que é comum no início da primavera.
  •  Pólen de grama, que é comum no final da primavera e no verão.
  •  Pólen de Ragweed, que é comum no outono.
  •  Os ácaros de poeira, as baratas e a caspa de animais de estimação podem ocorrer durante todo o ano (perenes). Os sintomas para alérgenos internos podem piorar no inverno, quando as casas estão fechadas.
  • Os assentos de fungos e moldes internos e externos são considerados sazonais e perenes.

Fatores de risco – O seguinte pode aumentar seu risco de desenvolver febre do feno:

  •  Ter outras alergias ou asma
  •  Ter dermatite atópica (eczema)
  •  Ter um parente de sangue (como um pai ou irmão) com alergias ou asma
  •  Vivendo ou trabalhando em um ambiente que constantemente o expõe a alérgenos
  •  Ter uma mãe que fumou durante o seu primeiro ano de vida

Complicações— Os problemas que podem estar associados à febre dos fenos incluem:

  •  Redução da qualidade de vida.  A febre do feno pode interferir com sua diversão de atividades e fazer com que você seja menos produtivo. Para muitas pessoas, os sintomas da febre do feno levam a ausências do trabalho ou da escola.
  •  Sono pobre.  Os sintomas da febre do feno podem mantê-lo acordado ou dificultar o sono, o que pode levar à fadiga e a uma sensação geral de mal-estar.
  •  Piora da asma.  A febre do feno pode piorar sinais e sintomas de asma, como tosse e sibilância.
  •  Sinusite.  A congestão prolongada do seio devido à febre do feno pode aumentar a sua susceptibilidade à sinusite – uma infecção ou inflamação da membrana que alinha os seios.
  •  Infecção no ouvido.  Em crianças, a febre dos fenos geralmente é um fator na infecção do ouvido médio (otite média).

Na medicina tradicional alopática, o tratamento consiste em entupir o doente com antibióticos, corticoides e derivador da Histamina química sintética, que deixam o organismo ainda mais fragilizado e ocasionando outros problemas de saúde, como: Insuficiência da glândula supra-renal, Síndrome de Cushing, Osteoporose, Catarata, Trombose, Úlceras, Hipertensão arterial, Hiperglicemia, Obesidade, Psicopatias e distúrbios do Humor, e mais outros sintomas menos relevantes. Isso tudo, sem contar que não cura a Rinite Alérgica, mas sim, mascara seus sintomas e em pouco tempo tudo retorna ainda mais forte do que antes.

Na medicina alternativa, através da Terapia da Homeopatia, tratamos o doente de forma oposta. É feito uma investigação detalhada e criteriosa, para saber a origem exata do problema, seu tempo de instalação no organismo e com isso, é traçado um protocolo de tratamento específico para o seu organismo, com medicações pensadas e manipuladas exclusivamente para o seu corpo.

Se este é seu caso, procure orientação e terapia homeopática. Clique aqui e agende uma consulta. caso tenha outros assuntos e queira tirar dúvidas ou enviar sugestões, escreva para: terapeuta@emmanuelphilippe.com.br .

2 comments

    1. Boa tarde Lucia Alves!
      Primeiramente gostaria de agradecer seu contato e seu interesse pela Terapia Homeopática.
      Sugiro que dê uma olhadinha no link “O que é a homeopatia“, onde explico um pouco sobre como atua a homeopatia em nosso organismo.
      Não há remédios homeopáticos genéricos, atuamos no paciente como um todo, por isso, um remédio para rinite que terá o melhor resultado para o João, não será necessariamente o melhor remédio para rinite que a Maria deverá usar, que por sua vez será diferente do remédio que a Geralda deverá usar… No seu caso é a mesma coisa, precisamos agendar uma consulta para que eu possa estudar o seu caso, seus históricos, suas cronicidades, seu emocional e mental para a partir daí determinar qual será o medicamento mais adequado para o seu organismo.
      Abraços.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *