O que é a Homeopatia?

Muita informação falsa a respeito da Homeopatia corre em boca-a-boca…. alguns dizem que é um tratamento muito demorado… outros dizem que não funciona…. outros dizem que é apenas tratamento emocional….

Mas afinal, na realidade, o que é a Homeopatia???

Vou tentar explicar com uma linguagem e exemplos mais simples… e fazer algumas breves comparações com a alopatia (medicina convencional).

A Homeopatia, é uma terapia que abrange não apenas o emocional, mas todas as esferas (física, emocional, mental…). A linha de atuação da terapia homeopática, é bastante criteriosa, seus atendimentos são de períodos aproximados de 2 horas, ou seja, ao contrario de um atendimento da medicina convencional onde o paciente tem um tempo de 10 a 15 minutos para se fazer ouvir. Mas porque tanto tempo? É muito simples… com mais tempo, fazemos uma verdadeira investigação patológica, onde iremos coletar o maior numero de informações possíveis, inclusive postura, dicção, clareza de ideias, sentimentos, e também questões hereditárias.

Depois dessa investigação, o terapeuta estudará e traçará o protocolo mais adequado ao seu quadro específico. Sim, para o seu quadro, pois na Homeopatia não se trata a doença mas sim o doente como um todo, quero dizer com isso, que um medicamento “X” que resolveu sua enxaqueca, não será o mesmo medicamento “X” que será a resolução da enxaqueca da sua irmã, vizinha, amiga, etc… será estudado cada caso, cada origem da doença para que tratemos a causa da doença e não apenas o sintoma, pois dessa maneira conseguiremos curar o seu problema e ele não mais voltará. Essa na verdade é uma das principais vantagens da Homeopatia sobre a Alopatia, pois a alopatia não cura nem trata origens de uma doença, simplesmente dá-se uma droga química a fim de mascarar um sintoma e interiorizar a doença, e assim, ela permanecerá adormecida, até que um dia se manifeste novamente ainda mais agressiva, sem contar em outros pontos prejudiciais que citarei mais a frente….

Os medicamentos homeopáticos não causam dependência, efeitos colaterais ou resultados indesejados, pois ao contrário dos medicamentos alopáticos tradicionais, não possuem traços químicos, evitando assim reações indesejáveis.

Mas se os remédios homeopáticos não possuem traços químicos como que eles atuam? Para entender essa questão, vou explicar brevemente como é produzido um medicamento homeopático…

Suponhamos que vamos trabalhar com a medicação Arnica Montana. A farmácia homeopática fará uma diluição a partir da tintura mãe feita da planta Arnica. Essa diluição é na proporção de 1/99, onde 1 é a tintura mãe e 99 uma mistura de água e álcool. Após essa diluição, a mistura é dinamizada, onde transfere toda a informação energética da tintura mãe para a água e alcool. Após essa dinamização, se tem o medicamento homeopático Arnica Montana de potencia CH1. Para se fazer a mesma medicação na potencia CH2, é novamente diluído em 1/99, onde 1 é a homeopatia Arnica Montana CH1 e 99 é uma mistura de água e alcool. Após a diluição, a mistura passa novamente pelo processo de dinamização, onde é transferida a informação energética da medicação de potencia CH1 e aumentando sua esfera de atuação e consequentemente aumentando sua potencia. Após essa nova dinamização, o resultado será a medicação Arnica Montana na potencia CH2. E assim sucessivamente até alcançar a potencia necessária.

Legal Emmanuel, você me explicou como é feito, mas afinal, se eles são tão diluídos, como é que isso funciona?

É muito simples, tão simples que é aí que muitos se confundem e acham que não há como ter efeito…. eles atuam por um simples processo de transferência energética… a partir daquela primeira diluíção, transferiu-se toda carga, energia, memória contida naquele líquido extraído da planta para o líquido alcóolico, e quando se dinamizou esse líquido, toda essa  informação elevou sua esfera. Quando seu organismo entra em contato com 1 única gota desse medicamento, toda a informação daquela planta está sendo transferida para seu corpo, e com isso, ele reagirá de forma semelhante ao que reagiria em contato com a planta propriamente dita, a diferença é que não há a planta alí naquele meio, portanto, não há reações adversas que poderiam ocorrer em caso de superdosagem de determinado componente contido na planta, apenas seu corpo entenderá aquela informação e reagirá de acordo com aquilo que você supostamente ingeriu.

Ex.: Ipecacuanha é uma planta da família Rubiaceae, que em contato com o organismo humano produz uma reação desagradável de extremo enjoo, náuseas e vômitos, apresentando sobrecarga no fígado arritmia cardíaca, e enfraquecimento muscular.

Um paciente que apresente sintomas de vômitos, fraqueza muscular e arritmia cardíaca será tratado com o medicamento Homeopático Ipecacuanha. O organismo desse paciente, ao entrar em contato com o medicamento, identificará as propriedades de ação da planta de origem do medicamento e passará a combater naturalmente os efeitos da planta (lembrando que não haveria efeitos pois não á traços químicos da planta apenas informação energética), e tratando-se de efeitos idênticos aos apresentados no início do tratamento, seu corpo ao criar resistencia para a planta automaticamente combaterá de forma natural os sintomas inciais de vômito, fraqueza muscular e arritmia cardíaca.

E o melhor, quando bem administrado o tratamento homeopático, essa informação ficará registrada em seu organismo e futuramente esse mesmo problema não mais o acometerá.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *